11/04/2022

Empréstimo pessoal em abril fica mais caro em três bancos, aponta levantamento

Por conta de reajustes feitos pelo Banco do Brasil, Bradesco e Itaú, quem precisar solicitar empréstimo pessoal em abril encontrará a taxa pré-fixada de juros mais cara, de acordo com o levantamento mensal realizado pelo Procon-SP. Nas principais instituições financeiras, o recurso emergencial passou a ser concedido sob a cobrança de encargos de 6,77% ao mês, acréscimo de 0,07 ponto percentual em relação à taxa média registrada em março de 2022.

Taxas praticadas

O Banco do Brasil, Bradesco e Itaú foram os únicos que aumentaram os juros no período analisado. Entre as três instituições, a taxa mais alta é a do Bradesco, que está cobrando 8,43% de encargos ao mês, um acréscimo de 0,17 ponto percentual em relação ao praticado em março, representando uma variação positiva de 2,06%

No Banco do Brasil, os consumidores vão encontrar os encargos em 6,17% ao mês, ante aos 5,99% praticados em março (acréscimo de 0,18 p.p), o que representa uma variação positiva de 3,01%.

No Itaú, os consuma taxa mensal de 8,10% subiu 8,18%. A variação positiva nesse caso foi de 0,99%.

No cheque especial, a taxa média permaneceu a mesma registrada desde fevereiro do ano passado: nos bancos Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú, Safra e Santander: 7,96% ao mês.

No comparativo entre as taxas praticadas, a Caixa Econômica tem a melhor opção para quem precisar fazer um empréstimo consignado. Já no cheque especial, o Banco do Brasil tem o menor encargo, segundo o levantamento.