23/05/2019

Recuperações judiciais recuam 6,8% em abril, revela Serasa Experian

Já os pedidos de falência tiveram alta de 8,3%

São Paulo, 23 de maio de 2019 – O número de recuperações judiciais no Brasil fechou em 124 pedidos em abril de 2019, registrando uma queda de 6,8% se comparado ao mesmo mês de 2018, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações. Durante o período de janeiro e abril, o número de requerimentos totalizou 371, recuo de 28,4% se comparado com estes mesmos meses em 2018, quando o valor chegou a 518.

Seguindo o padrão dos últimos anos, os micro e pequenos empreendimentos respondem à maior parcela do indicador de recuperações, totalizando 219 pedidos de janeiro a abril deste ano. As médias e grandes empresas seguem em segundo e terceiro lugar, com 93 e 59 pedidos, respectivamente.

“Esta queda demonstra que a economia no Brasil em 2019 está ligeiramente melhor do que no ano passado, ainda que num ritmo mais lento do que o inicialmente esperado”, comenta o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi.

Na análise entre março e abril de 2019, houve aumento de 57% no número de requerimentos de recuperações judiciais, com as micro e pequenas empresas (MPEs) na liderança com 74 pedidos, seguidas das médias com 27 e grandes organizações com 23. Porém, esta alta mensal foi devido ao efeito do feriado do Carnaval, que neste ano caiu em março, diminuindo o número de dias úteis deste mês.

Falências

Diferentemente do que ocorreu com pedidos de recuperações judiciais, os pedidos de falência cresceram 8,3% em abril de 2019 na comparação anual, totalizando 131 ocorrências.

“Enquanto a retomada da economia não ganhar consistência e dinamismo, poderemos ver movimentos em direções opostas entre os indicadores de falências e de recuperações judiciais. Isso porque enfrentamos um cenário de semi-estagnação da atividade produtiva, onde a melhora da geração de caixa das empresas não ocorre de forma generalizada e nem entre todos os setores”, explica o economista.

Na variação mensal dos pedidos de falência, o aumento chegou a 47,2% em relação a março deste ano. As MPEs ocuparam novamente a dianteira do indicador do quarto mês de 2019, com 70 pedidos de falência, seguidas pelas grandes (32) e médias (29) empresas.

Durante o primeiro quadrimestre deste ano, o número de pedidos de falência totalizou 417 requerimentos, o mesmo valor entre janeiro e abril de 2018. No período, as micro e pequenas permaneceram no topo com 212 falências requeridas, as médias om 113 e as grandes com 92 na sequência.

Confira abaixo a tabela completa com os números de falências e recuperações:

Legenda:

Recuperação Requerida: Quando a empresa entra com o pedido de recuperação em juízo, acompanhado da documentação prevista em lei, e que será analisado pelo juiz. Neste momento, verificará se o pedido poderá ser aceito.

Recuperação Deferida: A documentação foi analisada pelo juiz e está correta e o pedido pode prosseguir para a próxima etapa, que será a apresentação do plano de recuperação, mas isso não significa que a recuperação será concedida.

Recuperação Concedida: Uma vez que passou por todos os passos e cumpridas às exigências de lei, foi acatado o pedido, quando a empresa permanecerá em recuperação judicial até que se cumpram todas as obrigações previstas no plano.



Fonte: http://www.serasaexperian.com.br